Meneguzzi rechaça separação de estudantes com deficiência do ensino regular

Vereador socialista defendeu fortalecimento de políticas de inclusão e capacitação de escolas e professores

O decreto do presidente Jair Bolsonaro que instituiu a Política Nacional de Educação Especial (PNEE) foi alvo de críticas do vereador Alberto Meneguzzi/PSB, na sessão desta terça-feira (06/10). O programa visa fornecer mais flexibilidade aos sistemas de ensino, na oferta de alternativas como escolas comuns inclusivas, ou seja, fica a critério dos pais a escolha de qual instituição matricular os filhos.

Na ótica do parlamentar, a iniciativa é segregacionista, pois promove a separação de estudantes deficientes e não deficientes, e vai contra as políticas de inclusão. Ponderou que ao invés de separar estes estudantes do ensino regular, se capacite escolas e professores com condições de recebê-los.

Meneguzzi ainda repercutiu o caso de uma caxiense acometida por acromatopsia, uma condição de visão que torna o indivíduo quase ou completamente daltônico. No relato, a cidadã discorre que retirar pessoas com deficiência da escola comum é tirar sua capacidade de protagonismo e de se sentir incluída no contexto das diferenças. 

Fonte: Câmara Caxias do Sul

outubro