Gilfredo De Camillis espera ampliar luta comunitária em Caxias

Liderança comunitária do Santa Lúcia assumirá primeira vez, aos 70 anos, como titular na Câmara. Ele é filiado ao partido desde 2015 e faz parte diretório municipal do PSB.

Não foi por falta de persistência que Gilfredo De Camillis (PSB) conseguiu realizar o sonho de se eleger vereador de Caxias do Sul no último dia 15 de novembro. Aos 71 anos (que completará em 27 de dezembro), ele será o parlamentar mais velho a integrar a Câmara na próxima legislatura, embora seja a primeira vez que conseguiu se consagrar numa eleição. Quantas vezes concorreu? Nem ele sabe dizer exatamente:

— Eu sempre gostei da política. Não sei se é a quinta ou sexta tentativa que fui candidato. Poderia ter sido (eleito) um pouquinho antes (risos), mas a determinação e a vontade de ser vereador e poder ajudar as pessoas jamais me desanimaram. E a persistência, os amigos e o trabalho, enfim, me ajudaram a conseguir — exalta.

Na sua trajetória profissional, De Camillis trabalhou em diversas áreas, desde carregar caixas da Pepsi Cola, à alfaiataria, até ter seu negócio próprio, uma papelaria no bairro Santa Lúcia. Nos anos 70, foi coordenador das campanhas de vacinação na Secretaria de Saúde do Estado. Também nessa década teve sua primeira experiência efetiva na vida política: na legislatura de 1973-1976, De Camillis chegou a assumir uma cadeira no Legislativo caxiense como suplente, pela Arena. Na época, atuou por apenas um mês, o suficiente para lhe gerar o interesse pela política.

— Assumi como vereador suplente, não recordo o ano. A Câmara era ali no Edifício Mútuo Socorro, na Rua Garibaldi, na época que os vereadores não eram nem remunerados. Desde então, eu sempre gostei de política e concorri algumas outras vezes, sempre chegando perto de me eleger — relata.

Após tentar concorrer pelo MDB em alguns pleitos, De Camillis foi convidado pelo futuro colega de bancada (também eleito para a próxima legislatura), Zé Dambrós (PSB), a integrar o PSB, partido pelo qual acabou se elegendo neste ano. 

— Éramos os três vereadores suplentes do Elói Frizzo (PSB): (Wagner) Petrini (também eleito pelo PSB) era o primeiro, Dambrós o segundo e eu o terceiro. Somos os três titulares agora. O Dambrós é uma pessoa de fácil trato e comunitarista também, então vai facilitar muito a nossa relação na Câmara. O relacionamento com o Dambrós e o Petrini  é muito bom — avalia.

Ao citar inúmeros projetos e ações que pretende encaminhar na Câmara, De Camillis não esconde a empolgação de assumir logo o cargo.

— Vontade não falta, sempre tive vontade de ajudar. Só estou aguardando ansiosamente essa data para assumir. Tenho muitas ideias e de coisas simples que podem ajudar os moradores da cidade — assegura.

APOIO DA FAMÍLIA

Além da persistência em concorrer, foi essencial para De Camillis o apoio familiar para não só conseguir se eleger, mas também a “liberação” para se candidatar. 

— No início, minha esposa não apoiou porque não gosta de política. Mas o pessoal começou a procurar ela e dizer que tinha que me deixar concorrer. Teve uma visita do padre (Renato) Ariotti ainda quando eu concorri em 2016, ele veio aqui em casa e disse pra minha esposa para me liberar para ser candidato. Aí ela me liberou. E nessa última campanha toda minha família me ajudou bastante — conta De Camillis.

Com mochila nas costas, pilhas de santinhos, longas caminhadas e contato corpo a corpo com eleitores, De Camillis relata que conquistou o apoio dos 1.885 votos com que se elegeu.

Comunitarista “para ajudar Caxias inteira”

Nascido em Caxias, foi no Santa Lúcia que De Camillis encontrou o seu lar e uma comunidade pela qual lutar há 26 anos. Aposentado há 15 anos e atuante desde então, ele tem focado sua atuação no bairro, conseguindo viabilizar diversas demandas para a região como presidente da Associação de Moradores do Santa Lúcia, desde a recente rotária em frente à igreja — em conclusão — até instalações de bancos em paradas de ônibus, implantação de calçadas e revitalização de diversas áreas do bairro. No momento, aguarda a confirmação de uma agência bancária, demanda para a qual bateu de porta em porta de bancos até conseguir um possível interesse.

A dedicação, que afirma ter sido reconhecida nas urnas, vai continuar, garante. 

— Eu tinha na cabeça que ser vereador seria importante para ajudar as pessoas, porque as coisas mudam no tratamento. Eu já fui barrado por secretários, mesmo eu lutando pela comunidade. Então agora, de repente, facilite. Eu, sendo presidente do Santa Lúcia, não poderia interferir nos outros bairros, agora quero estar aberto para todas as outras comunidades e ajudar Caxias inteira.

Da sua atuação na Câmara já adianta, pouco se dedicará ao debate e priorizará a prática:

— Não tenho o dom da palavra, tem pessoas que têm facilidade de se expressar em discurso. Eu sou mais pensativo, mais quieto, mas que trabalha bastante e tenta resolver os problemas. Porque hoje em dia um dos descréditos do político é falar demais e não fazer quase nada. Eu prefiro trabalhar e sem falar muito. Na campanha, ouvíamos de tudo, é o momento de desabafo dos eleitores. Eles não confiam mais na política. É o momento de mudar essa ideia de que todo mundo não presta, temos as exceções e vamos tentar mudar essa imagem com o trabalho na Câmara.

QUEM É

  • Perfil: 70 anos, morador e liderança comunitária do bairro Santa Lúcia.
  • Trajetória: ocupou suplência na legislatura de 1973 a 1976 na Câmara de Caxias pela antiga Arena. Ultimamente, atuou como presidente da Amob Santa Lúcia, integra o conselho local de saúde (que abrange as unidades básicas do Santa Lúcia, São José e Pioneiro) e outros conselhos comunitários. Também já atuou como coordenador de campanhas de vacinação na Secretaria de Saúde do Estado na década de 70.
  • Referência: “Tinha um vereador quando eu morava no bairro São Pelegrino chamado Abilio Oswaldo Weber (mandatos de 64-68, 69-72, 73-76 e 77-82). Fazia campanha a pé, e eu me inspirei muito nisso e em trabalhar e falar com as pessoas. Minha campanha foi feita tudo a pé, mochila nas costas e conversando com os moradores.”
  • Pessoal: casado com Siena de Camillis há 43 anos, pais de Germano e Gilsia e avô de Cecília, 2 anos. Gosta de viajar e de se envolver com a comunidade. É religioso (católico) e gosta de esportes, em especial basquete e futebol (torcedor do Grêmio). 

Propostas

Gilfredo De Camillis destaca o que pretende priorizar em seu mandato:

Santa Lúcia

“Temos em andamento a denominação de uma área em frente à igreja e a instalação de uma câmera em frente à igreja Santa Lúcia. Não temos nenhuma agência bancária ou casa lotérica porque é considerada rota de fuga, mas estou tentando viabilizar uma para o ano que vem. Também reivindicamos a construção de escola infantil, um posto avançado da Guarda Municipal, melhor iluminação em todo o bairro, implantação de táxi-lotação para a região.”

Comunidade

“Como tenho idade de 70 anos, temos de defender direitos dos idosos. Me deixa chateado a lei do troco, no comércio, nas caixas lotéricas. Também gostaria de ajudar a oficializar a criação do grupo de bombeiros voluntários; viabilizar novos contêineres; plantio de mais árvores na cidade; e aumentar percentual de vacinação de crianças no município”.

Pessoas com deficiência

“Gostaria de ampliar a instalação de balanços adaptados nas praças e parques para a inclusão de pessoas com deficiência. Colocamos no nosso bairro o primeiro balanço adaptado de Caxias, o cadeirante entra no balanço sem precisar sair da cadeira de rodas. Seria interessante colocarmos em outros locais da cidade.”

Criação de comissão

“Gostaria de instaurar a Comissão de Assuntos Comunitários (na Câmara). A gente sabe do trabalho e dificuldade dos presidentes dos bairros. Quero me colocar à disposição dos presidentes de bairros e da própria UAB no que eu puder ajudar.”

Fonte: Jornal Pioneiro

27489641